Painel 642 – Economista Harri Goulart Gervásio 18/12/2020

Índices de desenvolvimento.

Com o passar do tempo os índices de desenvolvimento de um país foram sendo alterados. O mais utilizado e também o de maior facilidade de calculo era a renda per capita, com o valor do PIB dividido pela população. Este era um índice muito discutido, pois muitas vezes dava uma ideia distorcida da realidade. Como exemplo, países produtores de petróleo, como a Venezuela e Cuba, que possuem alto valor do Produto Interno Bruto e pequena população apresentam uma elevada renda per capita, mas o povo vive na pobreza. O que se vê na atualidade é a grande evasão da população local fugindo da fome e o governo tomando todos os meios para evitar a fuga. Com a certeza de que renda alta, muitas vezes, fica distante de desenvolvimento, foram sendo incorporados novos ingredientes, sendo que a ONU passou calcular anualmente o Índice de Desenvolvimento Humano dos principais países do mundo.

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH).

Este índice calculado pela ONU leva em consideração além do aspecto econômico parâmetros que medem o lado social da população. Para isto é considerado além da renda, o nível educacional do povo e também a condição de saúde. Os resultados de 2019 do IDH o Brasil, apesar de ter aumentado levemente o seu índice, perdeu cinco posições no ranking global de 189 países. Hoje o Brasil ocupa a 84ª. posição estando na categoria Alto Desenvolvimento Humano. A renda per capita saltou de R$ 14.068, 00 em 2018 para R$ 14.263,00 em 2019 com um avanço de 1,4%. No que se refere à área de educação o ranking considera que os estudantes deveriam ficar 15,4 anos na escola, mas por aqui a média anda em torno de 8 anos. Neste quesito 2019 apresentou um crescimento muito pequeno, 0,2% em relação a 2018. O atendimento em saúde se reflete diretamente na expectativa de vida, sendo que neste ano ela passou de 75,7 anos para 75,9. Em relação do IDH o Brasil tem apresentado melhoras, mas ainda esta longe de uma boa colocação, sendo necessário para isto um bom volume de investimentos em educação e saúde.

América do Sul.

É importante olhar o IDH dos países da América do Sul, contexto em que o Brasil esta inserido. O Chile é o primeiro colocado (43º. no mundo); Argentina a segunda (46º.); Uruguai em terceiro (55º.); quarto e quinto Peru e Colômbia os dois em melhores condições no ranking mundial que o Brasil, que esta em sexto lugar na América do Sul e 84º. no mundo.  Em décimo lugar na América está a Venezuela e fica em 113º. entre os 189 pesquisados.

Impacto ambiental.

Visando um resultado mais próximo do que se diz desenvolvimento, a ONU incluiu no calculo o impacto ambiental. É o Índice de Desenvolvimento Humano Ajustado as Pressões Planetárias (IDHP) que leva em consideração o impacto no planeta que cada país tem. São considerados aspectos como emissão de gases, uso de recursos naturais na produção, entre outros.  Isso veio a reduzir significativamente a posição de algumas nações mais ricas do mundo. Exemplo como a Noruega que ocupa a primeira posição no ranking quando considerado o IDH, perde quinze lugares quando este novo índice é incluído. A Austrália vai do 8º. para 80º e os Estados Unidos perde 45 posições. No caso, o Brasil diminui o seu índice neste critério, mas sobe no ranking devido à queda brusca dos demais. Em geral a América Latina avança na lista que considera a variável impacto ambiental, em função da queda do grupo dos países mais avançados. Hoje países mais desenvolvidos pressionam mais o meio ambiente. A conclusão é de que o verdadeiro desenvolvimento deve levar em conta o meio ambiente, forçando os governos a tomar medidas urgentes para preservar o planeta e chegar ao verdadeiro progresso. O sistema produtivo consome recursos naturais que na maioria das vezes não são repostos e nem pagos.

Pense.

Acredite que você pode, assim já estará no meio do caminho.

Os comentários estão encerrados.

WordPress.com.

Acima ↑

Crie um novo site no WordPress.com
Comece agora
%d blogueiros gostam disto: